segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

garras afiadas e pitadas de ousadia.

é o grito da alma, tá me entendo ? aquele grito que nem você se deixa gritar, por ser impossível, por ser doído, por ser vergonhoso, por isso guarda soca enfia tudo dentro do peito e faz de conta que esmaltes vermelhos e saltos altos te contentam. nós não voltaremos e isto é que me mata. você não quer, eu não quero. mas a saudade dói mais que qualquer coisa. não confio, mas amo. tá me entendendo ? aquele conflito sufocante, que faz você querer correr fugir se esconder morrer, mas que desaparece some arranca com tudo isto pra que ninguém perceba o que está acontecendo por dentro realmente. tá conseguindo me entender ? quando eu assisto filmes ouço músicas leio poesias vejo lugares lembro momentos e você vem com tudo na cabeça, destruindo com toda auto-proteção orgulho raiva nojo mágoa que eu sinto por ti e me faz somente querer me deixar largada nos teus braços. tá me entendendo ? eu não confio em você, eu não confio mais meu coração pra você guardar, mas te amo te quero sinto muito tua falta. e feito as tirinhas non-sense que tanto gostas, eu te xingo te amo te odeio te chamo te espero te repudio te esqueço te adoro, numa confusão nojenta que espanta toda a minha impulsividade. tá mesmo me entendendo ? e assim toda a minha linda ilusão de viver muito bem sem ti vai pro inferno e você só sorri deste jeito cínico e faz questão de me mostrar o quão divertida anda tua vida, fazendo aparentar que eu sempre irei perder nestes teus joguinhos sórdidos e inúteis.

e todo este conflito insuportável me faz agora querer te perguntar, com todo o peso do coração sendo aliviado nestas palavras: sentes minha falta ? quando alguém corta teus monólogos que eu sempre ouvia pacientemente ? quando bate aquele vento frio e te lembras de como eu esquentava tuas orelhas sempre geladas ? sentes ? nem mesmo quando escuta keane ou vê uma propaganda de harry potter ? nem quando deita a cabeça no travesseiro e lembra das minhas unhas arranhando tuas costelas ? sentes ? não ? nem um pouquinho ? não sentes nem uma migalhazinha de saudades ?



(e veja bem, tudo isto aqui não pretende ser retórico, meu anjo.)





bailando em nuvens de nicotina no ar,
sob luzes piscantes,
tão coloridas.

já não há mais o que alimente ao tédio
nem mais remédios para experimentar.

ela está alta
ela está...

as coisas mais loucas que ela diz
são perfeitas em ouvidos alheios.

6 comentários:

´ gPositividade disse...

que perfeito Verônicaaaa.

Marcelo R. Rezende disse...

A gente se fere, se machuca, se martiriza e depois passa. Passa não, ameniza, porque a dor sempre fica aqui pra nos lembrar do que aconteceu, pra escolher melhor, pra agradecer pelo novo.
Eu acho.

Beijo, sua linda.

Mariana de O. C. disse...

não confiar e amar é foda.
EXATAMENTE o que eu to sentindo, pqp!
ta perfeito, cara.

Veronica Rodrigues disse...

Então deve que é mal de Verônica escrever tão bem do jeito que você disse que eu escrevo. Porque também nunca me arrependo de passar por aqui. mesmo não deixando sempre um comentário.

keep writing.

Jandy disse...

Olá Verônica!
POXA menina, teu blog ta foda!
A M E I
to seguindo desde então,
passarei sempre por aqui, mil
beijos e pfavor segue aí tbm amore:
jandyscorpion.blogspot.com

Ilzy Sousa disse...

Veronica me diz, onde estão as câmeras? Eu realmente gostaria de saber como você consegui me traduzir assim, tão exatamente.

Já mencionei que tirei uma tarde pra ler todos os textos daqui? Senti a mesma coisa de ler um bom livro.

Obrigada e por favor, nunca deixem as palavras dentro de vc se calarem. Por nós duas.

P.S. confesso que um sorriso enorme me veio no rosto quando vi seu comentário no blog. Obrigada mesmo, de coração *-*