quinta-feira, 16 de agosto de 2012

existe amor em CWB.




me paga mais uma cerveja e diz baixinho dos teus personagens, de expressionismo, do teu comunismo indeciso, do que você faz comigo quando passa da hora do nosso existencialismo -
diz versos bonitos pra me derreter, pra me prender, pra me enganar: porque só eu sei da tua profundidade superficial -

você amou minha letargia e eu amei tua mão na minha -

e teus olhos de primeiro amor em mim enquanto eu perco a linha: ah meu amor, deixa eu falar do monte de solidão trancafiada em mim, deixa eu ficar bêbada e sentimental enquanto você perde o controle na minha meia de renda -
deixa eu ser tudo aquilo que você quer que eu seja, já faz quase um ano que eu me escondi na tua gola e comecei com a decência ou nem tanto que tanto cê me almeja -

diz que quer meu boquete que eu dispenso o cigarro e te dou meu peito aberto, meu amor manso e indiscreto, tua história cheia de parágrafo, porra louca, cinematográfica, de vagabunda, a merda toda -

só enxuga minhas lágrimas, cura minha ressaca e seja meu.
só meu.

afinal, de louco e Estocolmo, todo mundo tem um pouco.


e se o tempo for te levar,
eu sigo essa hora e pego carona pra te acompanhar. 

8 comentários:

Marcelo R. Rezende disse...

SENSACIONAL, como qualquer coisa que você escreve.
Apaixonado (é redundância dizer isso, eu sei, rs)

Beijo.

Obrigado por participar!

fernanda. disse...

Adorei... Poema alto nível, delicioso de ler! Também amei a Marla e o Jack ali em cima *-*

Darlan disse...

Delicioso! Deui vontade de tanta coisa... escreve com um vigor incrível!

Milena Carneiro disse...

Creio que qualquer comentário seja pouco pra descrever a delícia que esse texto é. Maravilhoso!

Adriana Antunes Polak disse...

...comentar? Não precisa você me calou, só posso dizer uma coisa:AMEI.

Evelyn Colaço . disse...

''você amou minha letargia e eu amei tua mão na minha''

Verônica, sempre, sempre me deixando aos arrepios com cada coisa que escreves. Sempre tão sucinta e intrigante que chega a surpreender o que vem por cada linha. Tirei os dias de atraso, em que estive sumida em mim mesma, e li os outros textos.
Confesso. Não teve como não ler o texto anterior ouvindo Young Folks, me dá lembranças de épocas maravilhosas 2008/2009. Você é incrível, e é bom poder voltar com meu blog sabendo que tu sempre esteve por aqui, atualizando os textos, que mais parecem labirintos, que não nos deixam sair deles. e deixando a todos boquiabertos com tua tamanha façanha.

Se cuida sempre. Escritora admirável.

Beijo.

Mariana de O. C. disse...

ta faltando intensidade no mundo. e isso voce tem tanta... saudades de vir aqui!

Letícia Giraldelli disse...

Profundo e direto, sem rodeios.
Texto porra louca, gostei disso.