domingo, 19 de dezembro de 2010

lado A. lado B.

"leave, before de lights come on,

- Valentina.
- o que ?
- o Alexander ? por quê ? por que ele ?
- porque eu sou louca. porque eu sou linda. porque eu sou auto-destrutiva. porque eu te amo.
- Valentina. para com isso. eu não sou mais um de seus admiradores; eu já conheço esse seu charme pseudo-louco-lírico. você não vai me ter de volta, então guarde para si estes planos mirabolantes vingativos e seus versinhos vagabundos, ou sejá lá o que está tentando fazer.
- eu não te quero de volta.
- e pra quê tudo isso, então ? você, aqui, assim, com o meu irmão ?
- porque da minha vida não te interessa.
- para com isso, Valentina. eu não te amo, nunca te amei, nunca fomos um casal e tudo o que eu te disse antes era mentira.
- e agora me conta a novidade, James.
- você ainda acha que vamos ficar juntos.
- eu não quero ficar com você, James.
- não acabou de dizer que me amava ?
- e amo. muito. eu faria qualquer coisa por você. eu iria até o inferno só pra te fazer sorrir, se quisesses.
- se me ama, por que diz que não me quer de volta ?
- porque eu também me amo.
- Valentina! esse seu típico espetáculo de incoerência não me encanta mais; pare de tentar enganar, pare de blasfemar.
- enquanto eu te amar mas ao mesmo tempo me amar, nós não ficaremos juntos; enquanto esses dois sentimentos coexistirem em mim, independente do tamanho de cada um, eu não voltarei a ser tua.
- e como possuir algo que você nunca quis ?!
- me olha, James; e me veja, me enxergue. você nunca me conheceu. não ache que é melhor que todo mundo. eu conheço todos estes teus joguinhos psicológicos, e eu não caio mais neles.
- chega. eu vou embora. não me procure mais. não tente chamar minha atenção outra vez. você não existe mais pra mim.
- quem é você ? faça esta barba! corte este cabelo! me olhe direito! mantenha-se sóbrio! seja cuidadoso comigo! volte com a tua falsidade! anda, mentiroso! sejas o MEU James; não mude! você está fedendo a desconhecido. permaneças como sempre fostes, meu anjo! minta, se for preciso. minta, minta, minta, eu não me importo. me odeie, me destrua, me despreze, tuas alfinetadas não fazem efeito, eu não sinto dor quando tentas machucar-me. só não mude. sejas o meu James. pra sempre. eternamente.
- este teu James é um personagem, Valentina.
- pois então, atue! encarne-o!
- você está ficando louca. adeus. cuide-se.
- eu te amo, nunca fui cuidadosa.



e provavelmente outros gosto na boca, seja líquido ou lânguido, não trará melhores verdades. e assim voltamos a a éticas, mentiras e desonestidades novamente, e por que a minha mão continua tremendo ? teu frio nunca me esquentou, afinal.





'cos then you don't have to see what you've done."


01:47am.
tosses arranhando a garganta.
mosquitos pousando no resto de café solúvel.

uma calcinha com babadinhos e cerejinhas. - "eu queria mesmo é te beijar."

rancor. cansaço.
nariz escorrendo.
um céu laranjado.

satisfazendo meu ego através de outras vozes,
encontrando consolo em mãos mais atrevidas,
adorando essa indiferença por loucuras alheias.
eu quero mais é que se fodam; que se fodam de tesão por mim.
não quero você.
nem você.

eu quero ele. meu novo ele. você mesmo, senhor independente e auto-suficiente.
eu ainda quero você.

pra quê abraços quentes, se eu tenho a falta do teu toque gelado ?
pra quê palavras acolhedoras, se eu tenho o teu silêncio ?
pra quê olhares apaixonados, se eu tenho o teu, cheio de um significado que eu ainda não consegui decifrar ?

eu te esqueço e volto a te amar todo dia.

então vem pra mim.
volta.
e vai embora.
minta.
e desminta.
me enlouqueça.
e me encante.
me iluda.
e me desespere.

eu amo teu corpo só quando ele fica junto do meu.
eu amo tua barba só quando ela pinica meu rosto.
eu amo tua voz só quando ela sai sussurrada em meu ouvido.

você só fica adorável quando está em meus braços.

então, vem.
vem ficar junto de mim.
com todo um descompromisso que nunca tivemos.



02:03am.
pés descalsos e gelados.
televisões tocando músicas da moda que eu nunca ouvi.

uma maçã do rosto que queima de saudade. - "cadê você ?"

solidão. abandono.
olhos quase cedendo.
um orgulho já desabando.

12 comentários:

Mariana de O. C. disse...

"eu te esqueço e volto a te amar todo dia."
maravilhoso e intenso. só isso que tenho a dizer. D:

Marie Raya disse...

'nunca fui cuidadosa' AMEI, haha. Incrível as palavras! beijão :*

Veronica Rodrigues disse...

fia, voce que escreveu? que isso? para com isso. hahahaha!

lindo e foda.

Camila disse...

"enquanto esses dois sentimentos coexistirem em mim, independente do tamanho de cada um, eu não voltarei a ser tua"
Ficou óótimo hein ;*

Luiza disse...

adorei teu diálogo! ficou super bom, explosivo. beijos

Marcelo R. Rezende disse...

Ficou babado de tão bom isso, ein?
Essa Valentina é danada. Ao mesmo tempo que se ama, se destrói, se arruina.
Amo.

Beijo

dear sarah disse...

que porra de texto é esse?!
INCRIVEL.

adoro o que tu escreve, fato.

Thaís. disse...

Confesso que achei o teu diálogo intenso e dá um ar de confusão que deixa o leitor com gosto de ler mais para saber qual pé vai ter isso. Gosto disso. Essa Valentina é fogo, hein.

Beijos, @pequenatiss.

Mayana Carvalho disse...

um dialogo tao inquietante e cheio de contradições que fazem tanto sentido. mais uma vez, amei!

Milena' disse...

amor, ódio e o infeliz do desprezo. a gente nunca sabe com o que está lidando. muito intenso seu texto, adorei.
:*

Nina Auras disse...

"eu te esqueço e volto a te amar todo dia." +1

Nossa. Nossa, assim... Primeira vez que eu venho aqui, e já me apaixonei pelo seu blog. O orgulho realmente desaba, após certo tempo, mas - afinal - continuamos a amar...

Adorei. Um feliz natal e um próspero ano novo para você! (:

Ilzy Sousa disse...

Sem palavras, as suas já disseram absolutamente tudo. Traduziu um turbilhão que ocorreu dentro de mim uma vez, duas vezes, milhares delas.

Simplesmente me apaixonei <3
Ganhou uma fã.