segunda-feira, 23 de agosto de 2010

keep out keep out keep out.

ele é perigoso demais; eu já estou conseguindo ver o dejà vu.
não vou procura-lo. estou engolindo todo o meu princípio de 'sou-impaciente-e-não-consigo-fazer-charme', mas eu não estou preparada para um segundo round. - e olha como ele é lindinho, mandou até um recado pedindo desculpas.
ele é perigoso demais; mesmo não sabendo dançar, ele é um príncipe. e eu o sapo.
ah sim, foi a minha revanche, só eu sei. - meu nome já está no lixo e eu pouco me importo, o conflito interno já está ocupando todo o meu tempo; i'm so sorry, más línguas.
além do que, eu sempre adorei esse meu segundo nome.

ele é perigoso demais.
foi só outra cena de filme que deve ficar guardada na memória, sem manchas de desespero ou arranhões de ilusão.

5 comentários:

inês zép disse...

gostei imenso :)

Evelyn. disse...

fazer charme não combina com você, Verônica é sinônimo de espontaneidade, dica.

R.L. disse...

Realmente existem pessoas perigosas.
A gente fica na defesa, e de repente se ve invadido.
A gente tá lá se olhando no espelho, se ajeitando.. e quando vemos a mão que passa pelos nossos cabelos não é mais nossa, e sim de alguém.
As vezes a gente dá a chave da porta, sem perceber.
Porque no fundo, o humano precisa disso.

Beijos alcoolizados

Evelyn Ceinwyn . disse...

O perigo é tão atraente quanto um clarão em meio a escuridão da noite, e tão perigosa quando cegos estão perdidos em um penhasco.
Mais a aventura que adrenaliza as almas, é o combustivel que impulsa muitas das vezes a se seguir em frente..

Adorei o texto Veronica!
Te Adoro!

Beijinhos.

Luiza disse...

que perigo, não venha com placa de mantenha distância? cuidado hein. beijos