quinta-feira, 19 de agosto de 2010

i will survive.

 (escrito ao som de i will survive, cake.)
eu posso me esvair em saudade, chorar até faltar lágrimas em mim e gritar com a cara no travesseiro, enquanto o aerosmith ecoa no rádio; mas voltar a mendigar atenções desnecessárias ? não não, muito obrigada.

ele está anormalmente feliz agora, mas ainda assim parece que ele sempre vai querer me ver na miséria, mesmo que para isso crie armadilhas amorosas em terceiros. é estritamente tudo culpa dele; esse súbito encantamento por um semi-desconhecido é herança de quem mesmo ?! mas oh, não posso deixar de fingir desinteresse e providenciar uma maquiagem impecável.

ah, foda-se tudo também. ainda é quinta-feira, minhas olheiras ultrapassam o limite do 'aceitável' e eu não tenho cérebro para pensar em estratégias românticas e/ou métodos eficazes de reconciliação; vou é fazer um brigadeiro de panela e mergulhar irrecuperavelmente na voz do alex turner.
e essa saudade ? ah, essa saudade passa.

it took all the strength i had
just not to fall apart.
i'm trying hard to mend
the pieces of my broken heart.
and i spent oh so many nights
just feeling sorry for myself.
i used to cry.
but now i hold my head up high.


(e nenhum outro texto honraria tão bem o número 69)

4 comentários:

Grafite disse...

Muito bom...Adorei!!!

beiijo,
*.*

Ju Fuzetto disse...

A saudade é um porto de solidão...


lindo flor, Parabéns, beijo e bom final de semana!!!

Mayana Carvalho disse...

sempre passa.. ou n.

Luiza disse...

o bom é que ela passa! mas incomoda, se distrair e contrariá-la pode valer a pena. beijos