quarta-feira, 25 de agosto de 2010

se isso for uma guerra, me entrego sorrindo e com flores nas mãos.

farejo. e observo. e pestanejo. e contemplo.

alguma coisa coisa está fora do lugar.
o vazio ganhou uma face melhor.
a solidão melhor me acolheu.

ontem eu sorri como nunca havia feito neste ano.
contemplei-me no espelho.
e ri.
ri sincera, ri abobada;
ri apaixonada ?!

a volta por cima chega, mais rapidamente que aquele amor já senil; na velocidade da luz, quieta, sapeca, me enganando e me surpreendendo.

e você me pergunta,
e você me encanta,
e você me invade,
e você me acalma.



(eu ouvi. você mostrou a sua vontade de monopólio.
eu li. eu não vou te obedecer.
eu toquei. você é demais para mim.)

3 comentários:

Jacqueline Strada disse...

As vezes até coisas ruins de se sentir se torna calmas quando se ama.
Adorei querida! *-*

Luiza disse...

adorei teu post. criativo e marcante. adorei mesmo. beijos

Marcela disse...

AAh, adorei o post *-*
único

bjs