sábado, 10 de julho de 2010

“will you sleep tonight, will you think of me ? will I shake this off, pretend its all okay ?”

escutando as músicas que você me mandou, eu percebo agora que você nunca esteve tão distante de mim. e nem foi você que se afastou, a culpa foi toda minha; eu que te afastei, que te empurrei pra longe de mim, implorando para você atender as minhas expectativas; chorar está doendo mais que o necessário.
e por que não te substituir ?! ambos são branquelos, sem graça e torcem para o mesmo time. tudo bem, ele não tem o seu sorriso, mas ele quer me fazer sorrir, já não está bom ? não, não está. ele nunca conseguirá me irritar tanto quanto você me irrita; ele não tem um óculos de nerd, o segundo nome dele não é "propositalmente neutro".
será que você não percebe que eu terei de mandar essa máscara de calma e despretensiosa pro inferno se você continuar me mantendo na abstinência ? você é a minha droga, lindinho, e como toda boa droga, você adora me enlouquecer.
e eu me julguei cansada ? é porque eu não sabia o quanto eu ia morrer se eu tentasse parar; não se faça de bobo, eu te amo eu te amo eu te amo, sempre. não, não fique ocupado!, eu quero tanto discutir sobre música contigo, te mandar à merda e ir dormir feliz; eu não queria precisar tanto de você para viver.
não irmãozinho, você não me trouxe boa sorte desta vez, quem sabe na próxima ? não se preocupe em me perder até lá, provavelmente continuarei neste mesmo exato lugar.

por favor, qual é a temperatura da sua pele ? o intervalo da sua respiração ? e o seu olhar de apaixonado ?

2 comentários:

Evelyn. disse...

Ah, eu nunca vou entender nossa mania de desprezar quem nos quer e querer quem não está nem aí. Isso machuca, é.

Amanda Arrais disse...

Fingir que tá tudo bem quando tudo tá a maior bagunça possível é difícil, mas mais difícil ainda é admitir quem, no fundo, só ele poderia arrumar aquela bagunça toda como a gente quer ou então se ajustar à toda a confusão. Faz parte...

=*