domingo, 11 de julho de 2010

caro sr. propositalmente neutro,

eu me encontro sentada na minha cadeira de balanço, estrategicamente escondida pela porta do guarda-roupa aberta, contemplando um quarto anormalmente arrumado, o speed of sound ecoando mais sereno que o habitual, vestindo o meu pijama xadrez preferido; é, talvez seja engraçado que eu esteja aqui, considerando que ontem a minha maior vontade era te fazer rir enfiada na minha saia lápis preta; mas eu estou no exato lugar onde eu deveria estar, só com um quadrinho, alguns cachos caindo em meus olhos e a mesma paisagem de sempre me fazendo companhia. será que o frio pode me consumir e me fazer virar também uma brisa gelada ?, pois eu estou cansada de todas essas minhas incansáveis e inconscientes tentativas sempre frustadas. é o lado contido e racional tentado impor sua vontade, afinal ? porque esse lado nunca gostou de ti, desde o tempo onde eu tive de me mexer pra conseguir um beijo seu. mas eu sei, não vai ser agora que eu vou desistir, provavelmente você conquistará esse meu lado moralista e responsável na minha primeira investida em saber como foi o seu dia. bom, talvez um chá quente faça essa sensação estranha e pensativa demais ir embora;
um beijo, e eu voltarei, sempre.

eternamente,
sra. não consigo te esquecer.

2 comentários:

Evelyn. disse...

Esse é o problema de experimentar. Mas só experimentando se encontra o acaso de dar certo, é só uma discrepância do destino.

Anônimo disse...

é, talvez seja engraçado que eu esteja aqui, considerando que ontem a minha maior vontade era te fazer rir enfiada na minha saia lápis preta; mas eu estou no exato lugar onde eu deveria estar,


é, acho q vc herdo esse dom de mim, UAHUAHUAHUAHAUH
minha amiga meu orgulho!!!


by: Gleicy =*
vc escreve mt bem, divulgue q da futuro (y)