terça-feira, 6 de julho de 2010

você não consegue nem fingir ser um príncipe encantado. nem pra mim.

eu nem sei mais que música escutar. eu não sei mais o que sentir. eu não sei se é você que eu quero. eu não te quero pela metade.
ando respirando fundo demais, minhas unhas crescem numa velocidade assustadora. eu cansei de te ver em qualquer um. talvez aquilo que eu te disse não seja tão verdadeiro agora. o amor está me entediando.
merda, ultimamente sinto frio demais; meus olhos doem. estou começando a me divertir com a sua ignorância sobre mim. o descompromisso está sumindo com a minha coragem.
porra, cadê a minha impulsividade ?!

2 comentários:

Amanda Arrais disse...

Nada pela metade satisfaz.
Viver sem impulsividade pode ser bom, racionalidade também faz bem.

=*

Evelyn. disse...

Talvez ele nunca tenha sido um príncipe, talvez ele nem quisesse. Você o fez, o projetou, o arquitetou da maneira que você queria. E a falta de reciprocidade entedia.