terça-feira, 19 de junho de 2012

sobre o (i)racional.

(escrito ao som de Palavra de Mulher, Chico Buarque.)

ah e o meu amor vem falando de nós todos máquinas orgânicas, numa segunda-feira, tudo métodos e aleatoriedades e sistemas, já madrugada e ele concluindo que são combinações apenas, e diz que é tudo reação, é tudo programado, tudo calculado: meu amor todo equivocado, achando que o meu amor por ele é formulável, pensando que o meu caos é explicável, dizendo que o que nós somos pode ser calculável -

meu amor... ah meu amor, dorme, descansa, esquece disso, não pensa coisa errada, abre a mente, acha a alma, entende o intrínseco, não tente explicar tudo, achar resposta pro mundo -

vê que a Marla pode não ser real, mas ela existe. ela sempre existe.

3 comentários:

Marcelo R. Rezende disse...

Não há formula pra gente, não há forma, não há detalhe cabível em explicações. Há gente, há emoção e há toda sorte de uma vida, que pode ser ou não satisfatória. O amor é uma grande loteria.

Thaís. disse...

Você continua escrevendo bem. Eu te lia em 2010, não sei se lembras. Volto mais vezes e prometo não sumir.
Um beijo, @pequenatiss.

Brunno Lopez disse...

A explicação de um caos é sempre cativante, não? E o que é essa publicação?

Abstrações, sentimentos, uma multidão de possibilidades?

Incrível.