domingo, 12 de dezembro de 2010

goodbye.

"e quando o amor acabar ?
e quando você me deixar ?
e quando eu começar a trapacear ?"

e foi bom, foi ótimo ser a outra.
vista seu casaco, faça suas preces, corra atrás de nada e me esqueça. aproveite sua vida, conviva com meus agouros, vista sua máscara, esconda seu passado, plante suas mentiras, destrua mais esperanças.


meu riso se sobrepõe a tua "gata" da semana, minha memória se abstém diante de desconfortos, meu temperamento se cobre através de atitudes sórdidas; meus sentimentos se diluem em café forte e bem adoçado. meu prazer se confunde com hipocrisias auto-destrutivas. 

e não tem mais jeito. não tem mais volta.
nós nunca nos conhecemos realmente, então façamos de conta que a vida é bela e que amizade é um bom final. 
e sobre nossos resquícios, eu já os entreguei a você. e quanto a sua atitude diante deles, pouco me importa; eu já os restringi de meus olhares. portanto, raspe nossos nomes, rasgue nossos convites, enforque nossas lembranças; isso não me importa mais.



"eu não te amo mais. adeus."

8 comentários:

Mariana de O. C. disse...

como sempre, impecavelmente perfeito.
e isso era tudo que eu queria conseguir dizer, by the way.

Ju Fuzetto disse...

O fim do amor é toda essa casualidade jogada na cara, é o não querer, a raiva jogada no peito, um sopro de luz que ainda acende nos olhos...
Adorei, beijos boa semana

Hadassah disse...

Pois é, coisa complicada quando o amor acaba. Mas fazer oq nada dura para sempre. Acho que só amor de Deus e de uma mãe são verdadeiros

Veronica Rodrigues disse...

xará, senti a despedida em carne viva. adorei ler aqui. bom começo de semana.

dear sarah disse...

De verdade?! Dizer adeus é a coisa mais dolorosa que existe.

espero que esteja bem com essa experiencia,
tenho certeza que você fez a escolha certa.

Evelyn. disse...

E quando o amor não acaba, mas temos que fazer ele acabar? As vezes dizemos que o amor acabou, mas a verdade é que não aguentamos mais sofrer por ele.

Thaís. disse...

O adeus, apesar de definitivo, é algo meio incerto. E doloroso, como já comentaram aqui. Às vezes falamos adeus não por estarmos magoados, mas sim porque nosso orgulho, que foi ferido, fala mais alto.
Enfim, obrigada pelos comentários no meu blog e eu fico feliz que você tenha gostado de lá. Você escreve e deve saber o quão importante é isso.

Vou ficando por aqui e passarei mais vezes para contemplar o que tu escreves.
Um beijo, @pequenatiss.

Anônimo disse...

E quem disse que amor é algo certo?
alias, nem sempre as coisas são como deveriam ser.
Os mal entendidos do amor, confundem e as vezes o orgulho nos toma.
E quem dá o ponto final nisso tudo? quem estabelece o início e o fim?

Não a ninguem que possa tomar esse decisão a não ser nós mesmo, então vamos la, enquanto essa chama estiver acessa, corra, de a cara a bater, desafiei, e consiga!
porque esquecer ou mentir para si mesma, não é algo muito corajoso a se fazer.
não é algo que você deva fazer.


Belo post novamente querida Verônica.
E desculpe-me pela minha ausência. Voltarei logo.