segunda-feira, 8 de novembro de 2010

"o implícito que leva a luxúria," - não tão bom assim.

havia jornais desconhecidos jogados ao chão. havia o hálito cheirando a álcool. havia a renda barata de outra noite. havia os cachos fedendo a cigarros alheios. havia o rock indie de todo dia. havia o postumismo sórdido da solidão. havia o converse encardido, os cachecóis vermelhos, os livros espalhados, as roupas bagunçadas, a maquiagem borrada, os anéis pesados, os olhos cansados, os batons reprovados, os corações perdidos, a mente moribunda, a saudade cortante e melancólica.

havia eu e faltavas tu.
havia um mundo e faltava tudo.


eu deixo a porta aberta
eu não moro mais em mim...

eu perco as chaves de casa
eu perco o freio.
estou em milhares de cacos
eu estou ao meio;
onde será
que você está agora?

4 comentários:

AC disse...

Havia um mundo, mas faltava-lhe o fio condutor...

beijo :)

Evelyn. disse...

E quando você se entrega totalmente ao amor, ao mesmo tempo você ganha tudo e tudo está perdido.

dear sarah disse...

é ruim quando falta algo, ainda mais sendo ele!

Mariana de Oliveira Cotrim disse...

havia eu e faltavas tu, muito lindo isso! *-* virei sua fã, haahah