sexta-feira, 1 de outubro de 2010

o bolo que é a minha vida.

modo de preparo:

massa - coloque numa vasilha 1kg de ciúmes e misture com doses cavalares de física mecânica; adicione uma colher de chá de gripe mal curada, uma xícara de noites mal-dormidas, quatro colheres de sopa de apelidos bregas e 250ml de curiosidade desnecessária de mães. misture bem e junte com um litro de pressão escolar por parte de notas baixas e hipocrisia alheia concentrada. por último, adicione várias pitadas de músicas românticas; sonhos bobos a gosto.
bata tudo, até a massa ficar homogênea; cozinhe tudo em banho maria, durante 7 dias.

recheio - pegue essências de insegurança, preocupação e alegrias momentâneas, e misture em 500mg de impaciência, três xícaras de impulsividade e cinco colheres de sopa de bipolaridade; em seguida, junte com 2kg bem servidos de deslumbramento, uma colher de chá de falsidade necessária e 500ml de invejinha cotidiana. pitadas de mais ciúmes e desespero fica a gosto do cozinheiro (a).

cobertura - saudades concentradas, espalhadas generosamente em volta de todo o bolo, por sinal.


pronto!, está feita uma semana altamente infernal;
com somente um resultado: i'm in love.
e tudo isso sem data de vencimento, por enquanto.


PS.: receita inventada ao som de lisztomania, phoenix.

5 comentários:

Ju Fuzetto disse...

adorei a receita!!

bom final de semana linda flor!!

beijo grande

Evelyn. disse...

Haha, clichê mas genial.

Verónnica ઌ disse...

adorei a receita querida *

Luiza disse...

ADOREI! sério, criativo e bem escrito o seu texto. beijos moça

Mariana de O. C. disse...

vim fuçar seus textos mais antigos e AMEI esse!