sexta-feira, 13 de maio de 2011

limbo.

(pra ser lido ao som de Enquanto os outros dormem, Sabonetes.)

andei meio distraída. bêbada. substituída. me equilibrando sonsa sob o meio-fio das crueldades invertidas, divertida – ri chorosa das verdades hipócritas. virei do avesso: te cortei ao meio. então desista dos conselhos, conte-me algo lindo grande explosivo que mude meu mundo, veja o nascer do sol sob o horizonte das minhas íris inexistentes e sentimentais. e cale a boca.

insosso é o som do desgosto invadindo meu âmago que feito relâmpago reluz perdido no céu inconformadamente límpido. 

e mesmo que lágrimas me rasguem, só assisto a morte lenta das digitais que tanto amassaram apertaram arrancaram os verões à flor da pele: quente só havia meus olhos furando qualquer teoria metafísica sobre quão agradável são as flores atirando descaso em minha violência infantilmente inocente; me achei quando perdi a paciência e desisti da humanização generalizadamente tua – agora vamos ao novo.

sempre quis teus sustos, tua platéia, teus risos, astuto, não dá pra entender logo e vir dançar ao som dos meus gritos ? são os gemidos todos plenamente destruídos por esse frio que agora enrosca em meus cabelos e, não, não me peça pra sossegar o facho contemplando teus desaforos e, oh! como você é macho.

soa meio paixão meio saudade, meio ódio-de-ser-passado, eu sei. vitória foi-se embora portanto o que menos me incomoda é como vou brilhar diante de pontos de vista alheios. e isto inclui o seu.
é.
alheio.

e fique certo: eu brilho.



 “no final não foi como amor, mas foi como se fosse.” – 
 Amanda Kampa.

9 comentários:

Fil. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fil. disse...

Você sempre faz brilhar à flor da pele.
São as mais profundas reflexões, coisa buscada no fundo do poço.

(e para isso precisa-se ir ao fundo do poço).

Você foi e viu meu reflexo, tenho certeza!
Você me viu lá e me vê aqui, não é? Te reconheço pelas entrelinhas

Adorável fera.

<3

Franck disse...

Que seu brilho seja sol, lua, estrelas, diamante...ou só vc!
Bj*

Fernanda Hauptmann disse...

Seria tudo mais fácil se houvesse tratamento médico para danos causados por toda essa coisa da gente querer o que não pode ter, quem não nos quer, que nos faz escrever sobre como queremos que... ah, dê tudo certo, embora esteja tudo errado.

Gostei (:

Mariana de O. C. disse...

o caos se veste com as suas palavras e faz as coisas parecerem menos piores. mais saborosas ou coloridas.

deia.s disse...

Bom dia! :)
Queria lhe agradecer por fazer parte do meu trabalho no blog amar.go!
Por isso, tem um selinho pra ti:

http://amar-go.blogspot.com/

Fique bem! (F)

Camila Alves disse...

Olá,
estava passando por aqui e resolvi ficar.
:]
Vou te acompanhar!
Grande beijo!

Evelyn. disse...

Intenso. Como sempre.

Marcelo R. Rezende disse...

Eu me embriago de você em momentos que preciso me entender. E dói, lacera, me petrifica a alma, mas Verônica, só você entende o quão profunda é minha alma e os pesadelos que nela habitam.